As principais tendências globais de alimentação

Todos os anos, empresas globais especializadas em identificar tendências elaboram pesquisas e relatórios sobre os principais comportamentos que vão impactar a forma de consumo nos próximos meses e anos.

Mulher cozinhando restaurante

E após um ano de pandemia, não foi diferente. Na verdade, a pandemia fez os consumidores transformarem, de diversas maneiras, o comportamento em relação à alimentação.

E o resultado foi um reforço em algumas tendências que já estavam estabelecidas, ao mesmo tempo que houve algumas mudanças impulsionadas pelas medidas de distanciamento.

As tendências são importantes para restaurantes, lanchonetes e empresas do setor de alimentação entenderem os consumidores e guiarem suas estratégias de acordo com as principais demandas.

Somente no Brasil, 42% dos entrevistados em uma pesquisa da Nielsen informaram que estão buscando reduzir o impacto no meio ambiente adotando hábitos de consumo mais saudáveis.

O reflexo aparece em escolhas que parecem simples, mas tem grande impacto para os empreendedores, a exemplo das pessoas que priorizam estabelecimentos com embalagem delivery consideradas mais sustentáveis.

Mas como se antecipar e essas demandas?

Entenda como as principais tendências globais podem ser aplicadas na realidade brasileira!

As principais tendências globais de alimentação em 2021


Um dos principais fatores que influenciaram nas tendências globais de alimentação em 2021 foram os comportamentos que surgiram com o início da pandemia.

Sentimentos como estresse e ansiedade causaram mudanças nas prioridades dos consumidores, que estão adotando formas de consumo que proporcionam bem-estar pessoal e ambiental.

E como isso aparece no consumo? É o que empresa ADM, líder global em nutrição, aponta nas tendências de alimentação listadas abaixo:

Sustentabilidade no centro


A crescente preocupação com o impacto coletivo no meio ambiente criou uma demanda para que as empresas se tornassem mais sustentáveis, mas não somente na entrega do produto final.

Os consumidores demandam pela compra de insumos responsáveis e padrões de produção com menos impacto.

Uma oportunidade para novos negócios e também para empresas repensarem as formas de produção e a escolha de fornecedores.

A tendência também explica a popularização de restaurantes mais artesanais, cujo os ingredientes são oriundos de agricultores locais ou orgânicos.

Conforme a pesquisa, pelo menos 65% dos consumidores querem gerar um impacto positivo no meio ambiente, sendo que 32% desses já estão comprando produtos produzidos de maneira mais sustentável.

Alimentos que fazem bem para o corpo

Alimentos saúde corpo

Depois de viver um ano de muito estresse e ameaça em relação à saúde, consumidores reforçaram os hábitos relacionados à alimentação saudável, priorizando alimentos ricos em nutrientes que trazem benefícios para a saúde.

Nesse sentido, a pesquisa indica que 31% dos consumidores estão comprando alimentos que visam trazer benefícios para o sistema imunológico, dar energia e até mesmo melhorar o humor.

Na hora de se alimentar, os preparos com cor vibrantes e sabores estimulantes têm atraído esses consumidores que, além do bem-estar, valorizam as sensações nostálgicas, como aquela comida de mãe ou avó, lembra?

Transparência cada vez mais presente


Os consumidores estão buscando mais clareza nas informações presentes nos rótulos de alimentos. E no caso dos restaurantes, lanchonetes e food trucks, essas informações podem vir através das redes sociais ou das etiquetas nas entregas.

A transparência também aparece com a procura por alimentos que não sejam ultraprocessados e que tenham preparos mais honestos.

É crescente o número de pessoas que estão optando por alimentos adoçados naturalmente ou que tenham menos adição de açúcares e conservantes.

Todas essas tendências possibilitam a criação de novos negócios que sejam direcionados a atender novas demandas, mas principalmente, permitem que as empresas se renovem e utilizem as oportunidades para criar produtos que atendem a maneira como as pessoas estão comendo e bebendo.

Outras tendências de alimentação fora do lar para ficar de olho


Aumento no número de dark kitchens


Você sabe o que são as dark kitchens?

As dark kitchens, ou cozinhas fantasmas, são restaurantes ou lanchonetes que trabalham com delivery, mas não possuem espaço físico para consumo no local.

Inicialmente utilizadas por redes de fast food ou franquias que desejam descentralizar a operação de delivery dos shoppings, elas são usadas estrategicamente para atender localizações com alta demanda.

Esta tendência foi impulsionada com o crescimento de dark kitchens abertas por pessoas dentro de suas próprias casas, com intuito de complementar a renda ou como alternativa após ficarem desempregadas durante a pandemia.

O modelo foi bem aceito pelos consumidores e se mantém como uma forte tendência em 2021.


Popularização do grab and go


Essa tendência é parecida com o modelo de retirar no local, mas trata-se de um formato que precisa ser, primeiramente, implementado pelos restaurantes em suas rotinas.

O grab and go tem como objetivo oferecer refeições prontas e saudáveis, em embalagens que permitem que o cliente visualize os alimentos - e que facilita a escolha.

A ideia é que o consumidor possa pegar e levar (pegue e vá) para consumir em qualquer lugar. O principal diferencial é que o cliente não precisa encomendar a refeição.

Na correria do dia a dia, ele tem a oportunidade de passar no restaurante, supermercado, panificadora ou estabelecimento em questão e comprar uma refeição sem precisar passar muito tempo no local.


Fortalecimento do delivery


Em 2020, a Mobilis registrou um crescimento nos gastos com aplicativos de delivery de 94,67%. Uma tendência que deve se manter forte em 2021.

Mais do que entregar as refeições na porta de casa, para os restaurantes o delivery representa a principal ou a única forma de atender os clientes, o que reforça a necessidade dos estabelecimentos investirem neste serviço.

Sem a possibilidade de ir presencialmente aos estabelecimentos e diante das medidas de restrição que limitam a capacidade de atendimento nos restaurantes, as embalagens delivery e os entregadores passaram a fazer parte da experiência de quem recebe a refeição em casa.

Assim, a entrega ganhou papel de destaque e os restaurantes precisam investir nas embalagens e na criação e adaptação de pratos que se comportam bem no delivery.

As tendências demonstram que existem oportunidades para os empreendedores ficarem de olho nos consumidores e adotarem mudanças que podem impulsionar as vendas nos negócios, mesmo em tempos de pandemia.