4 passos para começar o seu negócio

Abrir o próprio negócio tem sido uma nova estratégia para várias pessoas se manterem e conseguirem trabalhar em um empreendimento que une seu sonho com retorno financeiro.

Negócio

Inclusive, uma pesquisa feita pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM) mostrou que o Brasil é um dos países com mais empreendedores do mundo.

Para se ter uma ideia, em 2018, o número de pessoas que abriram sua própria empresa chegou a mais de 50 milhões, subindo a Taxa de Empreendedorismo Total (TTE) para 38%.

Ainda assim, muitas pessoas têm dúvidas de como abrir seu próprio negócio, como fazer funcionar, obter lucro e não perder o dinheiro investido. Para isso, existem formas, técnicas e ferramentas que podem auxiliar quem deseja se tornar um empreendedor.

Neste artigo serão colocadas algumas orientações para uma pessoa se tornar uma empreendedora com êxito.

Pesquisa de mercado


Para abrir o próprio negócio, é preciso definir com qual tipo de produto ou serviço se deseja trabalhar e entendê-lo (verificando normas possíveis).

Ao definir isso, é preciso pesquisar sobre como está o mercado voltado para esse nicho.

Conhecer bem o mercado que o empreendedor está prestes a ingressar é importante para estar mais preparado para os próximos desafios e traçar estratégias para ter êxito.

Para isso, é necessário entender em que local esse produto ou serviço está em alta e é escalável, quem são as marcas de referência, entender como eles operam, o que o novo empreendedor pode trazer de novidade e saber qual o melhor modelo de negócio a ser adotado.

Além disso, verificar o nível de competitividade também é importante, bem como o melhor formato para se comunicar com o público-alvo.

Público-alvo


Essa é uma das dicas mais importantes, pois identificar o nicho que se deseja atingir/atuar, bem como a forma de comunicar com esse público é essencial para criar e estreitar a relação, criando campanhas mais efetivas.

Afinal, tentar se comunicar com um público que se encontra na internet pela televisão não trará o mesmo efeito que fazê-lo nas redes sociais, pois não são as pessoas corretas para o empreendimento, ou mesmo pessoas interessadas nesse tipo de serviço e produto que serão atingidas

Isso significa que todo o esforço pode ser “desperdiçado” por conta de escolhas erradas que podem ocorrer por falta do direcionamento proporcionado pelo entendimento real do seu público. Por isso, a análise de mercado precisa ser feita com primor.

É preciso localizar quem é o público interessado nesse tipo de serviço ou produto, saber onde estão e como chegar até eles.

Como um novo empreendimento é novidade, ele precisa ser atrativo e inovador para esses potenciais clientes.

Para conseguir isso, é preciso elaborar estratégias para captar o cliente e fidelizá-lo, buscando superar as expectativas do público e proporcionar uma boa experiência (até no pós-venda), para que ele retorne à empresa.

Além disso, também existe como “criar” um novo público e estratégias ao entender a persona.

Com um estudo bem elaborado, o empreendedor passa a conhecer as necessidades, dores e o perfil de potenciais clientes, aumentando a clientela.

Investimento inicial


Para iniciar um novo negócio, o empreendedor precisa realizar um bom investimento e ter uma reserva para a movimentação inicial do negócio, pois o retorno pode não ser imediato.

O investimento inicial terá de cobrir os custos para iniciar e dar a primeira engrenagem na nova empresa, para que ela consiga funcionar.

Os gastos mais comuns ao iniciar uma empresa são:

  • Locação/compra de espaço;
  • Compra de mercadorias;
  • Contratação de funcionários;
  • Impostos;
  • Taxas;
  • Registros e licenças.

Além disso, o novo empreendedor deverá guardar uma quantia para o capital de giro, que é uma reserva para financiar as atividades da empresa enquanto ela não gera lucro. 

Ferramentas


Quem quer iniciar um empreendimento também precisa saber das dificuldades em controlar todos os aspectos da gestão e pensar no crescimento do negócio.

Visando facilitar a vida dos novos empreendedores, existem ferramentas que têm o objetivo de aumentar a organização, produtividade e lucro, otimizando o controle geral de contatos e processos realizados no negócio.

Caso sejam entendidas e bem utilizadas pelos empreendedores, as ferramentas podem melhorar os trabalhos da administração, economizar tempo e contribuir no planejamento.

O Custumer Relatioship Managment, ou CRM, é uma ferramenta que atribui um conjunto de estratégias, práticas e políticas que envolvem a gestão, análise e contato com o cliente.

O objetivo do CRM é fidelizar e satisfazer o lead, garantindo estreitar a relação de marca-cliente, mais contratação de serviços e vendas, expansão da clientela e lucro.

Por meio de softwares, as empresas criam um banco de dados com informações relevantes sobre as pessoas que entraram em contato com o negócio de alguma forma e que podem ter interesse nos produtos ou serviços oferecidos.

Com isso, o CRM administração relacionamento cliente traz maior fidelidade e, com isso, maior lucro, contribuindo até com o número de indicações.

Seguindo esses passos, o empreendimento pode se estabilizar no mercado e consolidar seus serviços. Atingindo esse patamar, a empresa pode iniciar uma nova caminhada para crescer e expandir sua marca.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Ideal Sales, desenvolvedora de ferramentas de CRM com enfoque no gerenciamento eficaz da equipe de vendas e otimização de seus resultados.