Como saber se estão mentindo durante uma entrevista de emprego?

O recrutador precisa estar atento a possíveis deslizes de discurso, mas também ao comportamento do candidato.

Para muitas pessoas, a entrevista de emprego é a parte mais difícil de qualquer processo seletivo. E isso faz sentido: especialmente para quem tem o costume de trabalhar “nos bastidores”, em funções onde não é necessário se expor tanto em reuniões e ao público, pode ser complexo falar sobre si mesmo.

O equívoco começa, na verdade, quando o candidato acredita que precisa exagerar as suas qualidades e falar do seu histórico de trabalho ou acadêmico com pompa excessiva. Em geral, esse tipo de comportamento não transmite segurança, mas o oposto: o entrevistador pode, na verdade, ficar desconfiado e desconfortável.

Quem almeja uma vaga de emprego deve, antes de tudo, entender que não está ali por acaso: o seu currículo já foi avaliado, assim como o seu portfólio (em casos em que isso é necessário, claro). 

É muito possível, na verdade, que o RH já tenha até feito buscas na internet para saber se o candidato possui perfis em redes sociais, se está envolvido em coisas que podem ir contra o perfil da companhia… Em épocas virtuais, a maior parte de nossos traços pode ser encontrado sem grande esforço.

Embora pareça um pouco assustador, é fato: o candidato que é chamado para uma entrevista já foi previamente avaliado. Em geral, o encontro com o entrevistador tem como objetivo tirar dúvidas, alinhar expectativas, entender trajetórias pessoais e profissionais e, muitas vezes, “pegar” mentiras que possam ter sido colocadas no currículo.

Entrevista de emprego: mentir não é uma opção

Não se trata apenas de uma atitude condenável num sentido ético: mentir, quando falamos sobre mercado de trabalho, em especial sobre vagas específicas, pode gerar problemas para as equipes, para a empresa e para a carreira do próprio profissional.

Vagas que pedem habilidades particulares são especialmente sensíveis nesse sentido. É natural que, por exigirem mais dos candidatos, elas sejam melhor remuneradas ou tenham benefícios competitivos. Isso, por razões óbvias, chama a atenção de quem busca por recolocação profissional.

Para evitar problemas, o RH deve ser blindar. A seguir, listamos algumas dicas que podem ajudar na identificação de possíveis mentiras na hora da entrevista de emprego, seja ela conduzida presencialmente ou à distância. Confira!

Tenha uma lista de perguntas personalizada

Como já mencionamos, o ideal é que todo o material do candidato seja revisado antes do momento da entrevista. 

Dessa maneira, alguns pontos relevantes de seu currículo podem ser esclarecidos. Se ele trabalhou por seis meses em uma empresa e por três meses em outra, por exemplo, vale perguntar se houve algum motivo específico para tal. 

Se ele afirma ter conhecimento de dois ou mais idiomas, pode ser interessante pedir para que ele apresente algum diploma ou certificado. Caso ele tenha domínio sobre uma língua que é fundamental para a função que ele irá exercer, é preciso que ele seja avaliado dessa maneira.

Assim, o recrutador deve ou agendar um horário com um superior que fale a língua desejada – inglês, por exemplo – ou conduzir, ele mesmo, um momento de conversa em idioma estrangeiro. Com o diálogo, ficará evidente se o nível do candidato é o mesmo que ele afirmou possuir.

Preste atenção ao que é dito e ao que não é dito

É natural que, por estar nervoso, o candidato se movimente um pouco mais e até tenha um pouco de dificuldade para falar “tranquilamente”. Isso é esperado, em alguns casos, mas deve ser avaliado com cautela.

Não é normal que alguém esqueça o nome dos lugares onde estudou, as empresas pelas quais passou, os projetos voluntários que fez e similares. Se o candidato parece esquecer demais de informações do gênero, isso pode ser um indício de que, na verdade, algo está sendo “mal contado”.

Outras coisas que podem auxiliar na identificação de mentiras são: movimentação de mãos e pés em excesso, dificuldade de olhar o entrevistador nos olhos, etc.

Faça perguntas assertivas

Por fim, o indicado é que o entrevistador não desperdice o tempo que tem com o candidato com conversas que não vão ao encontro daquilo que é fundamental.

Escrever um roteiro que apresenta a vaga, a empresa e as necessidades de ambos, e ter em mãos questões pertinentes e mais gerais, que possivelmente serão perguntadas a todos os candidatos, geralmente facilita muito o processo de seleção.

Como saber se estão mentindo durante uma entrevista de emprego