Como aplicar uma dinâmica de motivação na sua equipe?

Motivação é algo que deve ser cultivado diariamente, não apenas um discurso.

dinâmica de motivação

Você já ouviu falar de dinâmica de motivação? Trata-se de uma atividade que, realizada em grupos, faz com que os colaboradores se sintam mais confortáveis uns com os outros, além de mais satisfeitos, engajados e, via de regra, com melhor humor.

Isso acontece porque a dinâmica de motivação visa permitir que os funcionários "saiam" da lógica do trabalho por alguns instantes, vivenciando momentos de diversão, brincadeiras e alívio do estresse, sem que isso seja tempo perdido.

Na prática, a ideia é que seja, ao mesmo tempo, um processo divertido e educativo. Por meio do tempo gasto em conjunto, entende-se melhor o que têm pensado os funcionários, verificam-se pequenas rusgas e, muitas vezes, resolvem-se problemas.

Isso tudo, como podemos ver, colabora profundamente para o desenvolvimento da comunicação interpessoal, solidificando relações de trabalho e aumentando a produtividade individual e coletiva.

Vale dizer que empresas que apostam nesse tipo de atividade também ganham trabalhadores mais criativos e proativos. Quanto mais situações são resolvidas e ideias são dadas para os colegas, mais confiança está em jogo.

A tendência é que, fora das dinâmicas, isso permaneça. Ganhamos, então, um profissional que tem mais coragem para falar sobre aquilo que ele sente e para colocar soluções e possibilidades na mesa.

Como se pode ver, é o famoso ganha-ganha: a empresa recebe mais do funcionários, que percebem que o estresse diminuiu, a tolerância aumentou e a confiança subiu.

Agora que você sabe porque é importante apostar em dinâmicas de motivação, vamos conhecer algumas dinâmicas que podem ser muito interessantes. Confira!

Dinâmica de motivação: como aplicar na sua equipe


Primeiro, precisamos entender que existem tipos de dinâmica. Algumas das mais conhecidas são:

  • Desenvolvimento de motivação pessoal;
  • Aumento de autoestima, motivação e integração de equipes;
  • Dinâmica de grupo para trabalhos em equipe.

A escolha varia de acordo com aquilo que a sua empresa precisa naquele momento, mas isso não é tudo. Você pode fazer dinâmicas semanais, por exemplo, focadas em temas e com objetivos diferentes. O que importa é a frequência e o engajamento.

Se estamos com uma equipe que ainda não se conhece bem, pode ser legal começar com exercícios introdutórios, para quebrar o gelo, trazer mais conforto e autoconhecimento.

Uma dinâmica fácil e interessante, por exemplo, é aquela que se chama “Quem sou eu?”. Nela, fazemos um círculo de participantes. Cada um deles recebe uma prancheta, uma folha e uma lista de perguntas.
Elas podem variar, mas em geral o questionário é assim:

  • Qual é o seu propósito de vida?
  • Quais são seus pontos fortes?
  • No que você precisa melhorar?
  • Como você acha que está trabalhando para melhorar diariamente?

A ideia é que, após um período, as pessoas possam ler as suas respostas umas para as outras. Isso gera não apenas acolhimento, pois não queremos julgar aquilo que o outro sente ou manifesta, mas também identificação: “se o outro tem o mesmo sentimento que eu, quer dizer que os meus sentimentos são válidos”.

O ideal é superar essa ideia, é claro: afinal, o que cada um sente é importante, visto que jamais podemos medir o quanto algo dói ou deixa de doer. Ainda assim, quando sabemos que alguém está “no mesmo lugar”, isso nos alivia e gera aproximação.

Outras dinâmicas possíveis


Dinâmicas com cara de jogos são bem-vindas. Existe uma delas, a "caixa dos desafios", que também é ótima para introduzir pessoas - ao mesmo tempo, fica cada vez melhor conforme os grupos se conhecem.

Nessa dinâmica, separamos os participantes em dois grupos e pedimos para que fiquem em círculos. Nessa posição, porém, eles devem estar alternados (ou seja, integrantes do mesmo grupo nunca ficam ao lado uns dos outros).

Damos a uma das pessoas uma caixa preta. Dentro dela, há desafios múltiplos. A caixa passa de mão em mão, ao som de uma música - a qual é, subitamente, interrompida. Quem está com a caixa na mão deve tirar um desafio de dentro dela, ler e, então, cumpri-lo.

Se não conseguir, ela sai do jogo e o seu grupo perde 4 pontos. Se ela cumprir o desafio, permanece no jogo e o grupo ganha 3 pontos. E assim vai.

Essa é apenas uma das possibilidades para se criar um espaço onde aprendemos a lidar com o improviso e com a necessidade de agir rápido. Profissional e pessoalmente, isso gera um enorme crescimento!