Qual a origem do café?

Prepare aquele café quentinho e siga lendo para conhecer um pouco mais sobre sua história.

Qual a origem do café

Tomar café é um hábito cultural presente nos mais diversos momentos da história de vários países. No Brasil, o hábito de fazer uma pausa para o cafezinho já é tradicional nos mais diversos lugares.

Entender um pouco mais sobre a origem do grão faz com que nossa relação com ele fique mais forte e que valorizemos cada vez mais o ato de comprar o melhor café. Continue lendo para saber mais de sua história, que envolve mitologia, conflitos políticos e muita polêmica.

Origem incerta


Infelizmente não possuímos registros oficiais sobre a origem do café, mas sabe-se que é uma planta nativa da região africana que hoje conhecemos como Etiópia. Uma lenda da região permeia as histórias da origem do café. 

Segundo essa lenda, um pastor alimentou suas cabras com os frutos do café e viu que elas ficavam com mais energia. O camponês ficou intrigado com o comportamento que a planta incitava nas cabras e resolveu mostrar para um monge, que reprovou o alimento dizendo que era algo diabólico.

Porém, uma segunda chance foi dada ao café quando o monge jogou os frutos na fogueira e sentiu o delicioso aroma dos grãos torrados. Os registros mais antigos dessa lenda datam de 575 d.C. e sabe-se que, nessa época, o fruto era parte da alimentação do povo etíope.

Kaweh


O cultivo do café na região do Iêmen começou de forma extensiva. O próprio nome, “café”, teve origem nessa região, onde a planta era denominada kaweh e sua bebida derivada, kahwah, significa “força”. O potencial estimulante da bebida era seu principal diferencial, e isso fez com que ela fosse um sucesso mundial já no século XIV.

Cafeterias


As cafeterias são espaços muito importantes para a história do café, pois a bebida deixou de ser apenas um estimulante para ser consumida em momentos de socialização.

A primeira cafeteria tem origem na Turquia, em 1475, e se chamava Kiva Han. No século seguinte, as cafeterias do mundo árabe já eram locais de referência de encontros de artistas e poetas.

O café no Ocidente


O primeiro registro de chegada do café em portos ocidentais foi em Veneza em 1615, época em que ainda era tratado como uma especiaria e artigo de luxo.
 
Esse era um momento conturbado na Europa, pois a bebida de origem muçulmana desagradava os fiéis mais fervorosos, que viviam disputas religiosas nessa época.

Mesmo com esse entrave, o café se popularizou principalmente por conta de seu valor estimulante e por suas associações aos alegres encontros sociais. Em 1732, o famoso músico Johann Sebastian Bach compôs sua Cantata do Café, uma homenagem à bebida.

A ideia do café como uma bebida consumida em escala mundial foi de responsabilidade holandesa. Eles foram os principais responsáveis por disseminar as plantações de café pelo mundo e as regiões controladas por eles se tornaram as primeiras exportadoras de café comercial.

O café brasileiro


No Brasil, a primeira planta de café chegou em 1727. A produção do café brasileiro começou em pequenas lavouras, sem grande relevância econômica. Porém, com a crise de outros produtos exportados pelo Brasil Colônia (como o açúcar e o ouro), o café ganhou relevância.

Com as grandes mudanças que ocorreram no século XIX, como a chegada da família real, construção de ferrovias e uma proto-industrialização, o Vale do Paraíba se tornou palco de uma revolução cafeeira. Assim, o café se tornou o principal produto de exportação do Brasil até a Crise de 1929.

A Crise foi um marco muito negativo na história do café brasileiro, pois os Estados Unidos eram um grande consumidor do café produzido por aqui. Sem esse mercado, os produtores do Sudeste brasileiro tiveram que se reinventar e investir em processos mais modernos e industrializados.

Ainda hoje o café brasileiro é considerado um dos melhores do mundo e, com certeza, essa bebida continuará trazendo bons momentos para o dia-a-dia das pessoas por muitos anos.