Quais os principais problemas respiratórios e como lidar com eles?

Evitáveis em grande parte dos casos, conhecer doenças respiratórias e seus sintomas é de suma importância para o tratamento precoce.

Quais os principais problemas respiratórios

Doenças respiratórias são mais comuns do que imaginamos, e é preciso estarmos atentos às suas causas evitáveis. Evitar o tabagismo, passivo ou ativo, e melhorar a qualidade do ar com o qual entramos em contato, por exemplo, evitam esse tipo de patologia e nos garante uma vida mais saudável.

Conhecer melhor as causas e sintomas desse tipo de doença, de toda forma, é essencial para procurar um tratamento adequado com um profissional especializado, caso seja necessário.

Asma


Muito mais comum de ser diagnosticada já na infância, a asma raramente se desenvolve em pessoas já na vida adulta. Sua principal característica é uma inflamação crônica dos brônquios, de forma que eles ficam contraídos e diminuem a passagem de ar, o que afeta de maneira expressiva a nossa respiração.

Entre os principais fatores ambientais que causam o desenvolvimento dessa doença podemos citar a presença de alérgenos, como poeira, cigarro, e poluição ambiental, mas mesmo alguns medicamentos, quando administrados de maneira incorreta, podem motivar o seu desencadeamento.

Com o tratamento correto, o paciente asmático tem uma regularidade como a da maioria das outras pessoas. Basicamente, existe uma medicação de manutenção, que previne sintomas graves e crises, e o medicamento de alívio, aplicado especialmente durante uma crise.

Rinite


Bastante comum em pessoas de diferentes idades, é bem comum que você conheça ou mesmo tenha rinite. Em suma, essa é uma doença caracterizada pela propensão à inflamação das mucosas nasais como reação a elementos que, geralmente, não são considerados nocivos para a maioria de nós. O pólen e o pelo de animais são exemplos disso.

Os sintomas da rinite são bastante característicos e incluem a clássica coceira no nariz, nos olhos, no céu da boca e na garganta que pode até mesmo atrapalhar a realização de atividades corriqueiras do dia a dia, em casa ou no trabalho.

Além disso, também são sintomas comuns a coriza, o espirro constante e o nariz entupido. A maioria dos fatores de risco para o desenvolvimento da rinite são genéticos, mas existem causas evitáveis que valem a pena serem pontuadas, como o uso do cigarro ou convivência em ambientes com sua fumaça, bem como a poluição urbana e a má qualidade do ar em casa.

Nesse sentido, manter-se fora do cigarro e a casa limpa ajuda tanto a evitar a doença como a reduzir os sintomas daqueles que já a tenham desenvolvido.

Além disso, especialmente em situações fora da crise, o uso de ar-condicionados e purificadores de ar, com a manutenção sempre em dia, ajuda a retirar do ambiente elementos sólidos pequenos demais para serem vistos a olho nu que podem desencadear a crise da patologia.

Sinusite


Igualmente comum, a sinusite caracteriza a inflamação viral ou bacteriana dos seios paranasais, regiões do nosso sistema respiratório localizados no entorno da face. Tal qual a maior parte dos problemas respiratórios conhecidos, a combinação de fatores genéticos e ambientais são os principais causadores de seu aparecimento e desenvolvimento.

Entre as causas evitáveis, mais uma vez, vale citar o tabagismo, tanto ativo quanto passivo, a poluição urbana e a má qualidade do ar no ambiente doméstico. Nesse sentido, ações que impeçam ou diminuam essas condições são sempre as mais recomendadas.

De toda forma, vale ressaltar, o mais indicado é sempre procurar um médico assim que se persistir os sintomas. Entre os principais estão a redução do olfato, mal-estar, cansaço, tosse, irritação na garganta e obstrução nasal.

Bronquite


Como você já deve ter percebido, inflamações, de maneira geral, recebem o sufixo “-ite” no final do termo. Dessa forma, já dá para entender que a bronquite é a inflamação dos brônquios, órgão do sistema respiratório que começa na traqueia e termina no pulmão, essencial para a nossa respiração saudável.

Podendo ser crônica ou aguda, em ambos os casos essa é uma doença em que a produção de muco é expressivamente maior que o considerado normal, sendo essa uma resposta do próprio corpo à inflamação.

Entre os principais sintomas estão a tosse seca, a fadiga, a falta de ar e a coriza, sendo que estes podem variar de acordo com o quadro e mesmo levar a condições mais graves e, se não tratada corretamente, até mesmo à morte.

Por ser uma doença pode ser causada por um vírus ou por uma bactéria, hábitos de higiene além daqueles relacionados ao sistema respiratório, como lavar as mãos e só usar roupas limpas, devem estar na lista das prevenções.

Igualmente às outras, porém, o tabagismo e o contato com o ar poluído aumentam os fatores de risco do desenvolvimento da doença.