Como desenvolver o seu potencial de liderança?

As empresas perceberam, já algum tempo, que a retenção de talentos é fundamental não apenas para manter as contas em dia, mas para o bom andamento das equipes, o aumento da motivação coletiva e o crescimento da companhia perante a sociedade.

Como desenvolver o seu potencial de liderança

Hoje, os trabalhadores sabem quando estão sendo valorizados e quando o seu trabalho está sendo menos reconhecido do que deveria. Quando essa identificação acontece, é certo que, dentro de pouco tempo, ou esse funcionário deixará de render ou buscará outro lugar que possa dar a ele aquilo que ele tanto almeja.

E ele está correto! Não se pode dizer que uma pessoa que busca ser reconhecida pelo seu esforço e especialização está errada - e é dever da empresa estar ciente disso, além de batalhar para que cada profissional, independente do cargo, sinta-se respeitado, necessário para o andamento das atividades cotidianas e satisfeito.

Isso pode ser feito por meio da construção de um ambiente corporativo saudável, com feedbacks constantes e troca de informações, pelo oferecimento de benefícios corporativos, como plano de saúde e plano de previdência privada, e pela aposta na criação e no fortalecimento dos líderes.

Sim: ter bons líderes é primordial para o bom andamento dos projetos, para a motivação das equipes e para o desejo de colaborar efetivamente naquilo que está sendo criado em conjunto. Líderes fracos enfraquecem o todo - e se isso acontece, não há possibilidade de sucesso.

Da mesma maneira, líderes de destaque são bem remunerados, têm boas relações no ambiente de trabalho e, em muitos casos, constroem carreiras realmente sólidas. Se você acredita que tem potencial de liderança e gostaria de fazê-lo crescer ainda mais, acompanhe as nossas dicas!

Potencial de liderança: como desenvolver?


O primeiro ponto é: aprenda a escutar. Pessoas que estão mais preocupadas em falar do que ouvir geralmente não conseguem liderar poucos profissionais, quanto mais equipes inteiras. Quando estamos no comando, precisamos saber de tudo o que está acontecendo.

Se um conflito acontece, por exemplo, é dever do líder se informar sobre o acontecido e tentar criar pontes. Caso a situação passe dos limites, claro, pode ser necessário acionar o RH ou mesmo o departamento jurídico da empresa. Em situações de menor urgência, porém, é mais do que possível que o gestor resolva.

Como fazer isso de forma a respeitar todos os envolvidos e fazer prevalecer aquilo que é certo? A partir da escuta ativa, da observação do todo e da empatia. Nem todos os que estão envolvidos em rusgas e brigas são naturalmente aborrecidos ou qualquer coisa do gênero; às vezes, o estresse fala mais alto.

Nessas horas, uma boa conversa, em tom respeitoso e com comunicação não-violenta, pode fazer com que os ânimos se tornem mais contornáveis e que a relação possa ser remendada. Essa condução pode ser feita pelo líder, que toma a dianteira nos momentos bons, mas também nos ruins.

Sempre enfatize a relação entre pessoas


Estamos lidando com seres humanos o tempo inteiro, e isso é difícil. Por mais especializados que estejamos, às vezes problemas de ordem pessoal ou insatisfações fazem com que percamos a mão no tratar com o outro. Isso é esperado, e embora desagradável, não é o fim do mundo.

Um bom líder deve trabalhar cotidianamente, mesmo quando as relações estão boas ou amenas, para enfatizar a necessidade de ver o colega como um ser humano e entendê-lo. Da mesma maneira, deve tratar os que estão sob a sua tutela com respeito, gentileza e sempre utilizando nomes.

A utilização dos nomes parece trivial, mas não é. Quando você fala com alguém utilizando a sua alcunha, você não o invisibiliza, mas avisa: eu vejo você. Aos poucos, as relações se tornam mais firmes e pautadas em confiança.

Trabalhe a flexibilidade, a humildade e a sede de poder


Você pode ter franzido o cenho ao ler a frase acima. Pode ter dito: “mas eu não tenho sede de poder!”. Que bom! Tomara que seja o caso, de fato. Infelizmente, muitas pessoas em posições de destaque tendem a assumir uma postura autoritária que, muitas vezes, bloqueia o diálogo e a sua própria possibilidade de crescimento.

Mesmo que você esteja comandando um projeto de grande porte, não se esqueça: nada é feito sozinho. Você não será capaz de entregar tudo aquilo que precisa se não tiver o apoio da sua equipe, então ela é deve ser o mais importante para você. O resto é consequência.

Por fim, saiba reconhecer os seus erros, as suas ideias equivocadas, os seus planos que, bem, talvez não sejam tão eficazes assim. Não é esperado que você seja perfeito: é esperado que você seja, também, humano. Mas um humano e tanto.