Calcinha de algodão: vantagens e modelos

Lingerie de algodão ajuda a preservar a saúde íntima e pode ser encontrada em diversos modelos, incluindo os mais sensuais.

Já houve um tempo em que todas as lingeries eram feitas de tecidos naturais, como as fibras de algodão.

Algodão

 Apesar do design simples e da escassez de cores e modelos, o tecido, aprovado por especialistas por favorecer a manutenção da saúde íntima, trazia conforto para o dia a dia.

A indústria têxtil se modernizou, novos tecidos foram desenvolvidos – muitos deles sintéticos – e o universo da roupa íntima nunca mais foi o mesmo.

Pouco a pouco, as calcinhas se tornaram mais cavadas, ganharam rendas, cores, estampas e o algodão foi delegado apenas para os fundilhos. Mas, será que só uma parte tão pequena do tecido faz diferença?

Vantagens do algodão


A calcinha de algodão é a mais indicada pelos médicos para a manutenção e preservação da saúde íntima. Por ser absorvente, o algodão permite a circulação de ar pela área, evitando que fique abafada e propícia à propagação de microorganismos.

A região íntima feminina é quente e úmida. Isso, por si só, já torna o ambiente ideal para a reprodução de fungos e bactérias. Um dos principais problemas causados por esses microorganismos, por exemplo, é a candidíase.

Nos meses mais quentes de verão, as mulheres acabam por passar muito tempo com o biquíni molhado e usam calças muito justas, assim, ocorre um aumento na incidência da candidíase.

Durante o tratamento, uma das principais recomendações médicas é deixar a área íntima “respirar”, seja dormindo sem lingerie, seja usando calcinha de algodão.

Calcinha de vó?


Para muita gente, a primeira imagem que vem à mente quando falamos sobre a calcinha de algodão é a da calçola das avós. Aquele modelo grande e largo, nada sexy e extremamente confortável não é a única opção para quem deseja usar uma lingerie feita com esse tecido.

A indústria da moda se modernizou e também desenvolveu tecidos mistos, cortes e recortes que ajudaram a transformar a cara das lingeries.

A calcinha de algodão, hoje, pode ser encontrada em diferentes modelos: fio dental, tanga, biquíni, calção, etc. A peça também pode ser encontrada com estampas, cores e renda, ganhando charme e feminilidade sem abrir mão do conforto e da saúde da área íntima.

Foliculite, não!


Para muitas mulheres, depilar totalmente a região íntima é um processo natural e que tem a ver com a higiene. Esta é uma questão bastante pessoal, remover totalmente os pelos pubianos ou não é uma decisão única e subjetiva.

No entanto, dependendo do tipo de pele, de pelo e do tipo de técnica depilatória usada, pode ocorrer um processo bastante dolorido e incômodo: a foliculite. Também chamada de pelo encravado, a foliculite ocorre quando o poro por onde sai o pelo é tampado e entope com secreção.

O processo inflamatório pode ser muito doloroso e causar diversos incômodos. Há casos em que o médico precisa ser consultado e pode haver a necessidade de drenar secreção e usar um medicamento antibiótico.

Para prevenir o pelo encravado e durante o seu tratamento, o ideal é usar calcinhas de algodão, em especial as mais largas. Isso faz diferença porque o tecido não fica friccionando a região, causando ainda mais irritação local.

Quantidade


Na hora de compor o enxoval, as calcinhas de algodão devem fazer parte da lista de qualquer mulher. O ideal é ter, no mínimo, umas 10 unidades de cores variadas para poder variar o uso no dia a dia.

As calcinhas de tonalidade bege e chocolate, embora sejam menos sensuais, não aparecem se usadas com roupas claras ou transparentes.

Branco e preto também são cores clássicas e neutras para o cotidiano. Para ocasiões especiais, capriche nos modelos rendados e mais sensuais.