19/09/2017 19h00 | Por: Hyérica Santiago

Mais de 100 mil pessoas prestigiaram festa dos 200 anos de AL no Jaraguá

Com atrações locais e nacionais, a Virada Cultural foi um marco no Bicentenário de Alagoas

Texto de: Júlya Rocha
Virada Cultura Publico

“Alagoas meu sol, meu pedaço de chão...” Não é preciso terminar a música para ter saudade do último fim de semana. A virada Cultural foi um marco no Bicentenário de Alagoas. Durante dois dias (16 e 17 de setembro), artistas locais e nacionais fizeram parte da programação ininterrupta do final de semana. As ruas do histórico bairro de Jaraguá ganharam mais vida quando foram preenchidas por música, dança, moda, gastronomia e mais uma série de atrações que levaram cerca de 100 mil pessoas às ruas.

Com sete polos espalhados pelo Jaraguá artistas locais se apresentavam na Praça Dois Leões, enquanto o Iphan oferecia ao público apresentações de música clássica e a Associação Comercial abrigava grupos culturais típicos do Estado. Já no Museu da Imagem e do Som de Alagoas (Misa), a criançada pôde participar de contações de histórias. O Arquivo Público de Alagoas (APA) foi o palco da moda, onde alunos da Escola Técnica da Ufal poderam apresentar seus trabalhos. A Praça Marcílio Dias foi sede da música alternativa, e, no estacionamento do Jaraguá, artistas nacionais, juntos aos da terra, fizeram a festa do público que deu preferência a uma programação mais animada.

“A Virada Cultural foi uma grande festa! As comemorações do Bicentenário de Alagoas, que iam de moda a música, foram abraçadas pelos alagoanos durante todo o fim de semana. A receptividade do público só mostra como é importante realizar eventos que valorizem a cena local”, afirmou a Secretária de Cultura Mellina Freitas.

E como a Virada Cultural veio para ficar, nada melhor do que ouvir a opinião dos artistas que contribuíram para que a Festa do Bicentenário fosse inesquecível. “A $ifrão é uma banda com mais de 15 anos de história e posso dizer que nesse tempo todo de carreira nós nunca vimos uma iniciativa como essa, partindo do Governo do Estado. Ter a oportunidade de mostrar nosso som na virada cultural aumentou a autoestima da banda. E saber que a partir de agora a Virada Cultural entrou no calendário oficial de comemorações do Estado nos reafirma aquilo que já sabíamos: É possível ser valorizado pela nossa música autoral em Alagoas. Ontem, também recebemos a notícia de que fomos selecionados para outro edital, por meio da Secult iremos participar do Festival Pôr do Sol ainda este ano. Para uma banda que foge do circuito sertanejo-forró-axé, participar de eventos como esse nos motiva a seguir em frente”, disse o cantor Marcos Bruno, vocalista da banda $ifrão, que se apresentou na Praça Marcílio Dias.

E nem só de música foi feita a Virada. Para a coordenadora do curso de Produção de Moda da Escola Técnica da Ufal, Lili Menezes, a iniciativa do Governo do Estado em dar a visibilidade merecida à moda na comemoração dos 200 anos foi um grande passo para o avanço do segmento em Alagoas.

“São pessoas que precisam ser reconhecidas, são trabalhos que precisam ser mostrados. O nosso curso de moda é o único no Estado, e, com certeza, é um momento especial para todos que fazem ele”, Lili Minezes.

Com a vasta programação no Iphan, grupos e corais apresentaram a música clássica para o público que parecia encantado com a harmonia das notas. “Foi muito gratificante fazer parte dessa grande festa. Tenho certeza que nós e outros corais que participaram, saíram da Virada mais motivados à levarem a música clássica para todo o Estado. Só tenho a agradecer a oportunidade que a Secult nos deu”, conta a maestrina do Coro Vozes do Coruripe, Elisângela Leandro.

Assinando a autoria da música Alagoas 200 anos, o canto Junior Almeida  também deu o seu show. “Fiquei super feliz de participar da Virada. Para mim, foi um momento de confraternização, já que pelo Jaraguá encontrei tantos amigos artistas locais também mostrando o seu trabalho. O evento movimentou o meio musical, não só nós artistas demos um show, mas, toda a produção envolvida. Parabenizo a iniciativa do Governo do Estado por ter a ousadia de fazer um evento como este e espero que, a partir de agora, ele entre na agenda da cidade.”, disse o compositor. 


A Virada Cultural foi uma realização do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, com patrocínio oficial da Caixa Econômica Federal.