25/09/2017 22h11 | Por: Natália Souza

ASA, o gigante de Arapiraca completa 65 anos

Fundado em 1952, em 1953, o clube já disputou o seu primeiro campeonato, e para surpresa de muitos, foi o campeão alagoano,

Texto de: Edberto Ticianeli - História de Alagoas
Asa De 1953 2
Asa De 1953 2

Em 1951, Arapiraca dava os primeiros passos para o desenvolvimento que a levou a ser a segunda maior cidade de Alagoas. Naquela época, uma obra de porte entusiasmava a todos. A construção da estrada de ferro, sob responsabilidade da empresa Camilo Colier, oferecia emprego para muita gente da região. A feira da cidade, que já vinha crescendo, expandiu-se rapidamente a ponto de ser considerada uma das maiores do Nordeste.

Com o intuito de promover a diversão dos trabalhadores na estrada de ferro, a direção da empresa atendeu o pedido dos funcionários e construiu um campo de futebol, além de organizar o time da empresa. Surgiu assim o Ferroviário, com as cores preto e branco.

ASA campeão alagoano de 1953, o "Time que já nasceu campeão"

ASA campeão alagoano de 1953, o “Time que já nasceu campeão”. Foto Museu do Esporte

Após memoráveis tardes de domingo de futebol no Campo da Estação, a obra chegou ao fim e a empresa deixou Arapiraca. O Ferroviário, que era organizado pela Camilo Colier, deixou de existir.

Entretanto, a experiência rendeu frutos. No ano seguinte, empresários e autoridades públicas da cidade resolveram que era hora de se investir em time de futebol para representar o município. A Associação Sportiva de Arapiraca, ASA, foi constituída no dia 25 de setembro de 1952 e o seu primeiro presidente foi Antônio Pereira Rocha.

Em 1953, o clube já disputou o seu primeiro campeonato, e para surpresa de muitos, foi o campeão alagoano, após vencer a parte interiorana da competição e contar com a desistência do Ferroviário de Maceió, que tinha sido o campeão na capital. O regulamento do campeonato determinava o enfrentamento dos dois campeões.

ASA de 1966. Evandro, Curau, Tião, Rogério, Santos Pequeno, e Puruchão. Agachados, Chico do Deca, Perrone, Arnor, Polícia e Jazon

ASA de 1966. Evandro, Curau, Tião, Rogério, Santos Pequeno, e Puruchão. Agachados, Chico do Deca, Perrone, Arnor, Polícia e Jazon. Foto acervo família Perrone.

Com o Ferroviário recusando-se a disputar as partidas finais, a Federação Alagoana de Futebol proclamou o ASA campeão alagoano de 1953 em ato publicado na Gazeta de Alagoas do dia 7 de abril de 1954.

O título alvinegro de 1953 acabou sendo esquecido pela mídia e o Ferroviário, campeão da capital, passou a divulgar amplamente que o campeonato era seu. Foi José Pereira Neto, já na década de 90, que exibiu a Gazeta de Alagoascom o ato homologatório de 1953, colocando o ASA de Arapiraca na lista dos campeões alagoanos. Graças a esse primeiro título, o ASA também ficou conhecido como “O time que já nasceu campeão“.

Outro grande feito do clube arapiraquense aconteceu nos anos da década de 1960, quando o ASA excursionou pelo Nordeste, vencendo equipes importantes da região. Como ainda era desconhecido para a maioria dos torcedores nordestinos, o time ficou conhecido como “Fantasma das Alagoas”.

ASA de Arapiraca nos anos 70

ASA de Arapiraca nos anos 70. Foto Museu do Esporte

Outro fato que marcou a história do clube foi quando, em 1973, Mané Garrincha jogou por quase noventa minutos com a camisa alvinegra. Mesmo sem marcar gols, Garrincha contribuiu decisivamente para que o ASA derrotasse o CSA por 1×0. O gol foi de Cambota, aos 32 minutos do segundo tempo.

Na semana anterior, Garrincha tinha vestido a camisa do CSA em um jogo amistoso contra o alvinegro, em Maceió. O time azulino venceu por 3×1. “Seu Mané” estava se despedindo da torcida brasileira.

Em 1977, houve uma alteração estatutária e a associação passou a ser Agremiação Sportiva Arapiraquense, continuando a ser o mesmo ASA.

ASA de 1982

ASA de 1982. Foto Museu do Esporte

No campeonato brasileiro de 1979, o ASA fez excelente campanha, ficando conhecido nacionalmente pela brilhante classificação para a segunda fase da competição com cinco vitórias consecutivas.

Em 1982, o ASA quis homenagear a cultura do fumo, principal fator de desenvolvimento econômico da região, e incluiu a cor verde no uniforme.

Após quase 47 anos sem vencer um campeonato, em 2000 o ASA sagrou-se campeão alagoano novamente. No ano seguinte, voltou a conquistar o título maior do futebol alagoano. Na partida decisiva, no estádio Coaracy Fonseca, em Arapiraca, os donos da casa marcaram 2 a 1 no CSA. Os gols foram de Denílson e Soares.

Em 2002, o ASA volta a fazer história no futebol brasileiro e elimina o poderoso Palmeiras em pleno Parque Antártica. Mesmo tendo perdido por 2 a 1, seguiu em frente na Copa do Brasil por critérios de desempate, pois venceu por 1 a 0 no Fumeirão.

Escudo do ASAVoltou a ser campeão alagoano em 2003, 2005 (também campeão da Copa Alagipe) e 2009. Neste último ano, também foi vice-campeão do Campeonato Brasileiro da Serie C, depois de conseguir um acesso dramático em um empate por 2×2 diante do Rio Branco-AC.

Em 2011, o alvinegro vence o Coruripe e é campeão alagoano em pleno Estádio Gerson Amaral. O ASA conquistou ainda o vice-campeonato da Copa do Nordeste em 2013.

Fonte: Site oficial do ASA (http://www.asa-arapiraca.com.br/)