23/08/2017 14h21 | Por: Natália Souza

Motivado pelo bicentenário, Governo de Alagoas mira nos próximos 50 anos e investe em energia solar

Governo do Estado desenvolve projeto para transformar toda a extensão do Canal do Sertão numa usina fotovoltaica para captação e geração de energia solar para as próximas gerações.

Texto de: Severino Carvalho
9Be642F7225E5Efa14B57559F92Dbcc8 Xl

O Governo do Estado desenvolve um projeto para transformar toda a extensão do Canal do Sertão numa usina fotovoltaica para captação e geração de energia solar para as próximas gerações de Alagoas. Outra iniciativa será instalar painéis sobre os telhados das escolas da rede estadual para que supram as unidades de ensino com a energia de baixo custo, limpa e renovável. 

Essas ações são uma reflexão sobre planejamento administrativo no ano do bicentenário de Alagoas e foram discutidas entre o vice-governador e secretário de Estado da Educação, Luciano Barbosa, e o embaixador do Canadá, Rick Savone, e o vice-cônsul comercial de tecnologias, Patrick Courcelles. 

“Alagoas precisa se planejar para os seus próximos 50 anos. Estamos vivendo o bicentenário e é importante resgatar a capacidade de planejamento. O governador Renan Filho tem conversado muito sobre como a gente deve se comportar em cada área para poder pensar o futuro de Alagoas e deixar algo de consistente para os futuros governantes que possam vir. Dentre outras coisas, é importante se pensar na geração de energia em qualidade e em quantidade, favorecendo o desenvolvimento econômico de nosso Estado”, declarou Luciano Barbosa. 

Ele e os secretários de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Helder Lima, e do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Alexandre Ayres, receberam o embaixador do Canadá e o vice-cônsul comercial de Tecnologias. 

Energia Solar

Rick Savone afirmou que o Brasil, especialmente Alagoas, tem um grande potencial para a geração de energia fotovoltaica. “Aqui tem muito sol. O mais importante é termos uma visão para o futuro, onde estaremos todos pensando como melhorar o meio ambiente e, ao mesmo tempo, como podemos trabalhar juntos para usar nossas tecnologias e criar empregos. Brasil e Canadá têm a mesma visão nesse sentido”, destacou o embaixador. 

Segundo ele, a missão em Alagoas é aproximar as empresas canadenses do setor de energia limpa já instalado em Alagoas. Hélder Lima, por sua vez, recordou que o Governo do Estado garantiu a isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que incida sobre a energia elétrica trocada entre consumidor e a distribuidora. 

A legislação permite que o excedente gerado pela unidade consumidora com micro ou minigeração seja injetado na rede da concessionária, a qual funcionará como uma bateria, armazenando esse excedente. Quando a energia injetada na rede for maior que a consumida, o consumidor receberá um crédito em energia (kWh) a ser utilizado para abater o consumo em outro posto tarifário (para consumidores com tarifa horária) ou na fatura dos meses subsequentes. 

“A cadeia produtiva da energia solar vai se desenvolver e rápido. Já temos produção de painéis fotovoltaicos aqui em Alagoas”, acredita o secretário do Desenvolvimento Econômico e Turismo.