04/12/2017 00h00 | Por: Natália Souza

Luitgarde Cavalcante profere palestra sobre Manoel Maurício de Albuquerque

Evento marca a programação de dezembro dentro das comemorações do bicentenário do Estado

Texto de: Maria Barreiros
15Fc655D2B783B3573B7F1Ebbeca91Ac L

O Chá de Memória desta terça-feira (5) marca o início da programação do último mês de 2017, alusiva  aos 200 anos de emancipação política de Alagoas. A temática será a vida e obra do professor, geógrafo e historiador alagoano Manoel Maurício de Albuquerque, conhecido nacionalmente como ‘China’.

 

A palestra será realizada pela antropóloga Luitgarde Cavalcanti, ela que também é alagoana e conviveu com o historiador no Rio de Janeiro. O evento acontece na sede do Arquivo Público de Alagoas (APA), às 16h, com entrada gratuita.

 

Ao longo da sua vida, Manoel Maurício de Albuquerque desenvolveu uma série de estudos e pesquisas nas áreas de geografia humana, ocupação, colonização e desenvolvimento da República brasileira, além de enfatizar a análise de uma história no contexto de justiça social.

 

 De acordo com dados, este foi um dos motivos para que ele sofresse perseguição política, destituição de cargo, prisão e tortura durante o regime militar da década de 60/70.

 

Para a superintendente do APA, Wilma Nóbrega, este será um Chá de Memória muito especial, pois a temática é sobre um referencial para historiadores, educadores, documentalistas, bibliotecários e para os que desejam conhecer um pouco mais sobre personalidades que se destacaram no cenário nacional e internacional e proferida pela igualmente renomada antropóloga, Luitgarde Cavalcanti.

 

“De acordo com orientação e desejo do governador Renan Filho, vamos ter diversos eventos ao logo do mês de dezembro, para fechar com chave de ouro o ano em que comemoramos o bicentenário do Estado. É um evento para todos os públicos,” salientou a superintendente.

 

Quem é Luitgarde Oliveira Cavalcanti Barros

 

A antropóloga alagoana Luitgarde Oliveira Cavalcanti Barros nasceu 1941 e faz parte da geração de estudantes universitários formados durante a ditadura militar. Em um contexto político e social de efervescência, os estudos acadêmicos eram vistos por muitos alunos como parte da militância política.

 

Sem fugir à “regra”, ela se dedicou aos estudos do universo social e cultural, enfatizando o sertão nordestino, que remonta as suas origens e busca entender os movimentos insurgentes dos sertanejos.

 

Serviço:

Chá de memória Edição Especial Bicentenário

Palestra sobre o historiador e geógrafo Manoel Maurício de Albuquerque

Palestrante: Luitgarde Cavalcante de Barros

Local: Arquivo Público de Alagoas

Horário: 16 horas